ÀS PORTAS DA MACEDÔNIA

Refugiados: Paquistão

Refugiados: Paquistão

ÀS  PORTAS DA MACEDÔNIA

 

Estamos aqui!

Há sombras,  gritos, fumaça e lama…

Estamos às portas da Macedônia…

Atrás de nós só há dor…

Ouvem o choro dos nossos filhos?

Ouvem os lamentos dos nossos velhos?

Estamos às portas da Macedônia…

Atrás,  só há vultos de um ontem feliz …

*

Abram-se fronteiras do Velho,

do Novo

e do Novíssimo Mundo…

Abram-se corações dos povos da Terra!

Dá-nos as mãos,

enquanto há calor em nossos corpos.

Enquanto há esperança em nossas almas…

Estamos às portas da Macedônia…

Atrás, só o abismo da incerteza de um amanhã

e a certeza de várias mortes em uma só vida…

Ouçam a nossa voz…

Estamos às portas da Macedônia

E não temos para onde voltar…

Antonio Neto

Santa Maria de Jetibá – ES, 12 de Setembro de 2015

Anúncios

Sobre antoniopneto

Professor de Língua Portuguesa, contista e cronista.
Esse post foi publicado em Poesia e marcado , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para ÀS PORTAS DA MACEDÔNIA

  1. Graça Carpes disse:

    Tão doloroso a todos nós, esse momento.
    É preciso sim, abrir as portas!
    *Sensível, seu poema.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s