CONTOS DO SOL RENASCENTE: A PROSA ATÁVICA DE ANDRÉ KONDO

Um livro suave…  No entanto, profundo em cada um dos 15 contos que o compõem. 14 destes já foram premiados ou receberam menção honrosa nos mais expressivos certames literários brasileiros. Falo de CONTOS DO SOL RENASCENTE, do premiadíssimo escritor paulista André Kondo.

Descendente de japoneses, André Kondo foi buscar na sabedoria oriental a matéria-prima para condensar as histórias que encantam, convidam à reflexão e  à descoberta de uma cultura distante, mas que se faz entender em cada linha da obra.

Os símbolos mais caros da cultura japonesa são convocados para erguer o memorial do retorno de André Kondo: O hashi, A Katana, A ikebana, O haicai e outros referenciais da Terra do Sol Nascente.  Uma tentativa (bem sucedida!) de resgatar e apresentar ao Ocidente o tesouro cultural dos seus antepassados.

Um saudosismo latente envolve cada conto;  pois no mundo imediatista, competitivo e insensível que nos cerca, as histórias de André Kondo conduzem  o leitor a um passado imemorial, mas que pode ser resgatado através da Literatura, e – por que não? – trazer alento, coragem, resignação ou simplesmente um encantamento que anda ausente.

CONTOS DO SOL RENASCENTE  recebeu Menção Especial – Prêmio Humberto de Campos – UBE – RJ. Muito mais ainda conquistará:  o coração de leitores de hoje e de amanhã.

A escrita atávica de André Kondo tem a força das asas de um Ícaro Pós-Moderno, que consegue unir o horizonte do século XXI às brumas do passado milenar japonês.

André Kondo tem muito ainda por revelar. Muitas outras facetas tem este talentoso escritor que, pouco a pouco, vai grafando o seu nome na memória e no coração de seus leitores.

Mais que um escritor, Kondo é um emissário que traz o passado até nós, e nos leva a sentir o toque dos tempos que nos precederam.

Seria muito edificante, que  cada biblioteca escolar contasse com – pelo menos – um exemplar de  CONTOS DO SOL RENASCENTE.  Já que somos um país multicultural, todas as matrizes que compõem a nossa Pátria devem ser reconhecidas como formadoras da nossa cultura.

Arigatô, André Kondo!

 

 

Antonio Neto

Santa Maria de Jetibá – ES, 08 de Março de 2016.

Anúncios

Sobre antoniopneto

Professor de Língua Portuguesa, contista e cronista.
Esse post foi publicado em Contos, Sem categoria e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s